O poder feminino

08/01/2017 13:44

Em um mundo masculinizado não poderiamos estar falando sobre o poder feminino, se as mulheres tivessem ficado caladas, desempenhando passivamente o papel que o homem a tinha designado, relevando-as a segundo plano, sem acesso a educação e poder de decisão.

   Mas não foi isso que aconteceu, as mulheres nunca se calaram e utilizaram seus diversos atributos contra os homens mais poderosos do universo, vencendo-os em seus próprios jogos. Diante de toda parafernália de ferramentas femininas lançadas contra os homens, nem um deles por mais poderoso que fosse, foi capaz de resistir seus encantos, caindo em seu feitiço, se curvando ao poder feminino.

   Uma das primeiras menções desse poder, podemos encontrar descrito na Biblia Sagrada no livro de Genêsis, onde descreve a criação do mundo e do ser humano. Adão vivia passivamente no jardim do Éden, comendo, bebendo e brincando com os animais, sem maiores preocupações. Eva por sua vez começou a explorar o local e logo encontrou a serpente, mordeu o fruto proibido e convenceu Adão a fazer o mesmo. Devido a esse ato, ambos foram expulsos do paraiso.

   Esse primeiro ato desencadeou o mal no mundo, abrindo a caixa de Pandora, mas também fez com que a mulher pudesse gerar filhos, dando a luz novas vidas, perpetuando de uma vez por todas a raça humana na terra. Foi um ato de coragem, também um ato onde mostra a grande inquietação interior da mulher. Enquanto seu companheiro estava feliz, satisfeito com o que ganhava, ela queria mais e atravessou a fronteira do desconhecido.

   Essa mulher representa nitidamemente  a luta feminina ao longo dos séculos seguintes em busca de seus direitos a igualdade, negado constamente pelo mundo masculino, sempre com medo do que elas poderiam fazer se as deixassem falar e decidir. 

   Após a saida da pré-histório, o inicio da civilização e a criação de grandes cidades, encontramos mulheres nas altas hierarquia da sociedade e no poder do Egito antigo. Também desempenharam papéis de destaques na Grécia e Roma antiga, sempre presentes junto ao poder, quando não eram elas próprias as detentoras desse poder.

   Foram elas que cuidaram muito bem das casas, crianças e animais, teceram roupas para aquecer a familia no inverno, não descuidando da lavoura e criação dos animais. E os homens? Em sua maioria envolvidos em guerras estúpidas, brigando por poder, sempre em busca de conquistas, perdendo seu tempo, recursos e a própria vida.

   Enquanto isso as mulheres continuavam com sua busca em direção ao topo, algumas indo literalmente participar em batalhas das muitas guerras travadas. Dalila uma mulher que conseguiu com seus encantos vencer o homem mais forte do mundo chamado Sansão. Esse individuou utilizando da força bruta lutava contra os Filisteus, ninguém o conseguia vencer, mas a bela jovem e ardilosa Dalila fez o que nem um exército conseguiu fazer, derrotou o poderoso Sansão.

   O homem mais sábio que viveu na terra chamado Salomão também ficou encantado com os atributos, sabedoria e beleza da rainha de Sabá. Quando ela o visitou, ficou fisivelmente embaraçado com a beleza da rainha, maravilhado com o que tinha visto.

  Joana d'Arc pegou em armas e liderou seu povo quando faltavam homens para ssumir o comando e hoje ela é considerada uma das heroinas da França. Vendo seu povo sendo derrotado ela não teve dúvidas foi a luta revigorando a moral do exército que se encontrava abatido e quase totalmente vencido por seus inimigos.

   Na Revolução faroupilha que aconteceu no sul do Brasil, novamente as mulheres se destacaram, cuidando dos filhos, fazendas e literalmente lutando para manter a segurança de suas familias, enquanto os homens se matavam no campo de batalha. Nem mesmo nesse local os homens estavam sozinhas e uma das grades mulheres guerra batalha é a catarinense Anita, que não conformada com sua vida na cidade de Laguna, deixou seu marido bebâdo e juntou-se as tropas da revolução, tendo um papel de destaque no conflito ainda hoje lembrado.

   Já na revolução industrial muitas delas foram mortas por estarem perto ou fazerem parte do poder, mas as que sobreviveram foram novamente a luta pelos seus direitos, conseguindo trabalhar nas indústrias que começavam aparecer em todos os lugares. Trabalho difícil e bastante puxado, muitas levavam suas crianças junto para o local de trabalho, que ainda no início do século XX, demandavam 12, 15 e até 20 horas de carga horária por dia. Mas elas aguentaram toda esssa carga imposta pela indústria e ainda cuidavam da casa e filhos, que nessa época não eram poucos. 

   Também na primeira e segunda guerra mundial as mulheres literalmente foram a guerra, em maior número na segunda. Não trabalhavam somente como enfermeiras ou ajudantes, mas muitas eram literalmente combatentes, mesmo o exército, um reduto masculino, não sendo muito a favor.

   Enquanto as duas grandes guerras eram travadas, as mulheres não ficaram somente tomando conta da casa, filhos ou simplesmente trabalhando nas muitas empresas. Elas foram a luta  pelos seus direitos,  conquistaram o direito ao voto, direito de decisões importantes, mesmo a custa de sangue de algumas de suas colegas derramados na batalha. Mesmos sendo torturas, presas ou mortas, elas não se calaram e quando uma caia, haviam muitas outras para continuar suas lutas.

   Após as guerras houve a revolução sexual. Deixando todo o pudor de lado, a culpa por anos de repressão, novamente as mulheres tiveram papéis de destaque, pois sem elas e revolução sexual não existiria. A música também não ficou de fora, muitas delas com vozes inigualavéis embalaram muitos bailes de gala, espalhando românce nas tardes de domingo, fazendo inúmeros casais apaixonados se perderem em suas fantasias, ouvindo suas belas melodias.  

  Enquanto os Adãos continuavam seu sono de beleza no paraíso, elas continuavam a explorar os quatro cantos do mundo e se infiltrar em todos os locais de trabalho e social, dirigindo habilmente seus planos de conquistas, fazendo a sociedade machista ceder sobre seus encantos, ajoelhando-se diante de sua sagacidade. Quando o Adão acordou de seu sono profundo, viu a mulher que ele havia renegado a segundo plano, tomando conta do mundo.

   Hoje século XXI a mulher está presente em todas as esféras da sociedade, comandando grandes países, sendo empresárias ou com altos cargos executivos das grandes corporações. Sobrou para o homem moderno se curvar diante do poderio feminino. Até em locais que até pouco  tempo era reduto masculino, hoje as mulheres fazem parte do time.

   Mesmo os locais com serviços brutos e pesados elas também trabalham, não deixando de atuar em minas, reflorestamento, estaleiros e até na construção civil. Nem o esporte das artes marciais escapou de suas conquistas, sendo muitas lutadoras profissionais atuando de forma eficiênte e compêtente, levando para suas casas fama e dinheiro. Muitas delas lutam melhores que a maioria dos homens.

   Você pode estar dizendo consigo mesmo que os homens também tiveram grandes momentos na história humana, fazendo grandes descobertas e trazendo inúmeras conquistas para a humanidade. Sim, está correto. Mas os homens foram sempre os primeiros a decidir, nunca estiveram fora de uma mesa de votação, todos eles sempre tiveram o poder de decisão. Nunca precisaram se calar e quando precisavam, utilizaram a força bruta para conquistar o que queriam.

   É claro que ainda hoje há mulheres que sofrem humilhações, são maltratadas no interior de suas casas, países que negam direitos a elas, mas a história nos mostrou que elas sempre conquistaram o que desejaram e ninguém falou que sua luta terminou. Com seus encantos femininos, sensibilidade e sagacidade continuarão a lutar pelos seus direitos. Se o homem  eterno Adão conformado não sair de sua zona de conforto, sentirá todo o poder das conquistas das mulheres que ainda virão, deverá sentir em seu corpo e mente, toda a força do poder feminino.      

 

                  


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!