Três tipos de desejos

09/01/2017 15:47

Segundo Epicuro de Samos (341 a.C. - 270 a.C. ) que foi um filósofo grego do período helenístico, existem três tipos de desejos que os seres humanos tentam satisfazer durante toda sua vida. Esse pensamento deu início ao movimento " epicurismo que é o sistema filosófico que prega a procura dos prazeres moderados para atingir um estado de tranquilidade e de libertação do medo, com a ausência de sofrimento corporal pelo conhecimento do funcionamento do mundo e da limitação dos desejos." (https://pt.wikipedia.org/wiki/Epicurismo) Vamos tentar entender um pouco esse pensamento que foi difundido em numerosos centros epicuristas que se desenvolveram primeiramente na Jônia, no Egito, e a partir do século I, em Roma, onde Lucrécio foi seu maior divulgador.

 

Desejos naturais e nescessários 

   Nesse primeiro tipo de desejo está o fato de termos que nos alimentar diáriamente, na sua grande maioria, pelo menos consumindo três refeições por dia. Está incluso também o desejo de beber para manter nosso corpo hidratado, caso contrário, poderemos  ter sérios problemas, que poderá nos levar a morte. Também há os desejos fisiológicos de esvaziar nossa bexiga e intestinos, caso esses desejos não sejam satisfeitos, poderá haver rompimento em nossa bexiga e intestino, levando-nos a morte. Portanto segundo Epicuro, naturais e nescessários " são os desejos que livram o corpo da dor da fome e da sede" (https://pt.wikipedia.org/wiki/Epicurismonão havendo assim formas de contorná-los para não satisfazê-los, sem o risco de nosso corpo entrar em colapso. 

   Esse tipo de desejo é prioritário ao bem estar e a continuidade da vida humana, sendo nescessário a sua satisfação imediata. Epicuro tem uma finalidade concreta na satisfação de tais desejos: a eliminação das dores e a busca dos prazeres. O que nem sempre é possivel, pois ele mesmo sabia que "  O sábio deveria desejar os objetos simples e naturais e saber que, por ser imperfeito, sentirá dor, inevitavelmente." ( https://pt.wikipedia.org/wiki/EpicurismoNa busca pela satisfação dos desejos nescessários ao nosso corpo, nem sempre conseguiremos satisfazê-lo totalmente, isso resultando em dor, sofrimento e morte.

  

Desejos naturais e não nescessários

   Agora é um pouco mais complicado: Esse tipo de desejo em parte também é nescessário para manter a saúde e sobrevivência. Ninguém consegue sobreviver sem comida ou bebida, sendo esses os desejos naturais e nescessários ao bem estar de nosso corpo, portanto, são os desejos naturais. Porém agora eles vem acompanhados dos desejos não nescessários que seriam " os desejos que surgem da vontade de variar, por exemplo o alimento ou a bebida, para variar também o prazer do corpo." (https://pt.wikipedia.org/wiki/Epicurismo)

   Ninguém consegue todos os dias comer somente arroz com bife acompanhado de uma taça de água. Por mais que goste desse alimento, logo seu corpo estará saturado, pedindo uma variação em sua dieta. Essa variação é um desejo natural de nosso corpo, mas não nescessário para manter a vida, mas sim, para aumentar o prazer do nosso corpo ao saborear outros tipos de bebidas e alimentos.

   Adepto das coisas simples Epicuro classificou esse desejo do ser humano em variar seu alimento e bebida, como um desejo que o ser humano tenta satisfazer diariamente, mas não é um desejo nescessário a sobrevivência, pois sem a variação dos alimentos e bebidas, o ser humano poderá sobreviver comendo apenas arroz e bebendo água.

   É claro que essa pobre dieta prolongada nos levariamos a falta de muitas vitaminas em nosso corpo, que são extraidas dos diversos alimentos e bebidas que consumimos em nosso dia a dia, mas isso não era uma preocupação para a filosofia na época de Epicuro. Para ele a vida era simples e poderia ser vivida com simplicidade.

   Por outro lado sem a variação na alimentação e bebida, estariamos livres da obesidade, má alimentação que acontece quando consumimos lanches e comidas gordurosas por exemplo, em demasias ou bebidas forte além do que pode suportar nosso organismo, levando nossos órgãos internos ao limite. Nosso mundo está cheio de comidas saturadas de gorduras, agrotóxicos que fazem mal a saúde. Refrigerantes e bebidas alcóolicas em demasia também fazem nossa vida ficar um pouco mais complicada, sem falar nas drogas proibidas que circulam livremente pelo mundo. 

  O sexo também se inclue nesse tipo de desejo, apesar dele ser essencial para a reprodução, perpertuando a espécie, não é um desejo que mataria alguém se não o satisfizesse. Muitos homens e mulhers se isolaram ao longo dos séculos e por opção ou crença se abstiveram do sexo e nem por isso acabaram morrendo pela não satisfação desse tipo de desejo.

  Muitos praticantes do sexo porém procuram variar, encontrando diversos parceiros para sua satisfação pessoal, levando homens e mulher a trairem uns aos outros. Com isso muitas pessoas utilizar a prática do sexo como moeda de troca, obtendo dessa forma muitos favores, inclusive no meio corporativo, fazendo do sexo um meio de sobrevivência. Mesmo assim, o sexo não é um desejo nescessário apesar de fazer parte da profissão mais antiga do mundo.    

Desejos não nescessários e não naturais 

   Esses desejos já são um caso a parte... Ninguém precisa deles, mas todos fazem das tripas o coração, para poder satisfazê-los, levando o nosso mundo ao caos. Esses desejos " são os que nascem de uma opinião falsa sobre o mundo, incentivados por sentimentos de vaidade, orgulho ou inveja." ( https://pt.wikipedia.org/wiki/Epicurismo

   Esses desejos estão matando o homem moderno, que acorda de manhã, segue para o trabalho, voltando somente a noite, quando toma um banho e vai deitar, somente para no outro dia acordar e começar tudo de novo. Na época de Epicuro esses desejos já eram um problema, imaginem hoje com a mídia fazendo apologia ao governo que por sua vez faz apologia ao que melhor lhe convém.

   Somos bombardeados todos os dias com propagandas, opiniões sobre os mais variados tipos de alimentos, bebidas, casas, apartamentos, carros e quando conseguimos comprar uma casa ou um carro, não ficamos satisfeitos e queremos mais. Quem sabe uma casa no campo, uma casa na praia. Um carro maior, um carro melhor, um carro zero kilômetro...

   Não há mal em querer isso e melhorar sua vida, adquirindo um veiculo facilitando seu deslocamento de casa ao trabalho, tendo sua casa própria, boas roupas e bons sapatos. Não, não há nada de mal, apesar de não ser preciso para você viver.

  O mal começa quando já tem uma casa e quer mais uma, mais uma e mais uma. Nunca conseguirá morar em todas elas ao mesmo tempo, mas quer adquirir para mostrar aos seus pares que consegue. No mundo moderno extremamente consumista, cada dia mais as pessoas estão insatisfeitas, compram coisas o tempo todo e a todo tempo, mesmo assim não conseguem satisfazer seus desejos. Mesmo não sendo nescessários e nem prioritários para sua sobrevivência, a não satisfação desses desejos tem levando a doença e insatisfação em seus corpos a milhões de pessoas, por isso, precisam priorizar suas nescessidades.

  Se escolhermos com sabedoria quais desejos serão saciados primeiro, isso resultará na saúde e sobrevivência de nosso corpo. Para Epicuro "O sábio é, portanto, aquele que toma consciência da própria existência e destino, não aceitando o determinismo de nenhum deus. Para ele, o importante na busca é a saúde física e a serenidade interior, ocasionadas pela escolha de quais desejos deverão ser saciados." ( https://pt.wikipedia.org/wiki/Epicurismo

  Epicuro completa seu pensamento dizendo que " A felicidade reside, então, na saúde do corpo e da alma, que não pode ser entendida, obviamente, como metafísica, mas parte fundamental da própria existência corpórea. Ser feliz é ter pleno domínio destes prazeres, o que pode ser alcançado com a compreensão da natureza dos deuses, da morte e dos desejos."(https://pt.wikipedia.org/wiki/Epicurismo)

  Devido ao consumo desenfreado de nosso tempo, multiplas compras que nos acarretam dívidas desnecessárias, estamos a cada dia mais atarefados, trabalhando em vários empregos para podermos suportar nossos gastos, mas não estamos satisfeitos e felizes ainda, pelo contrário, o mundo vem em uma crescente onde de insatisfação, o que leva a mais consumo, a mais dívidas, que por sua vez, leva a mais insatisfação.

  Desejos não naturais e não nescessários deveriam ficar em segundo plano, satisfazê-los moderadamente, mas são os primeiros a serem satisfeitos! Quando não conseguimos, isso nos leva a frustração e dor. Seria mais fácil se levassemos a vida sobre a filosofia de Epicuros, mas os desejos são mais fortes...E mais mortais!

 

Para ler mais

https://www.bebee.com/producer/@sergio-weinfuter/o-pendulo-da-frustracao-entre-o-enfado-e-o-desejo


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!